Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Hoje é um dia histórico!

Crónica de 05 / 01 / 2015

A minha filha nasceu de parto natural.

Levei epidural, até demais!, mas nasceu pela porta de baixo, como manda a natureza.
A epidural foi a salvação. De muito do pessoal médico, leia-se. Porque ao primeiro “toque” eu queria matar alguém.  Ao décimo eu já procurava objectos cortantes ao meu alcance para matar todas as pessoas que pudesse e conseguisse.
Não me lembro de todos os detalhes dai para a frente. Mas lembro-me de ma mostrarem. E a médica continuar lá por baixo. A lavarem, vestirem e trazerem-ma de novo. E a médica continuava lá por baixo. O pai pegar nela, dar-lhe colo e ela espirrar. E a médica continuar lá por baixo.
Viemos para casa. E só passados uns dias é que me apercebi que estava verdadeiramente em obras lá por baixo: o tempo todo que a minha médica passou “lá em baixo” não foi a limpar o material médico. Foi a dar-me mais pontos do que uma obra da Joana Vasconcelos.
O que vos quero dizer com tudo isto?  Que há um ano que não fazia a depilação lá em baixo. Porque só de pensar numa “profissional das partes baixas” fazia que desse por mim já com uma tesoura de unhas na mão para me defender.
Mas passou um ano. E eu vou de férias para o sol. E há limites! Então hoje vim fazer a depilação! :)
Mas calma. Não se assustem e pensem que estava quase a substituir a Amazônia na produção de oxigénio.
Num daqueles momentos que temos mesmo, mesmo muito de acre algo, eu tinha feito depilação definitiva. Graças a Deus para alguns instintos consumistas das mulheres! 

Mais Crónicas:

-->