Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Coisas que mexem com o meu tico e teco: Mimo vs Amor

Crónica de 18 / 03 / 2015

Tenho uma amiga que está sempre empolgada em dar dicas tendo inclusive criado um blog só para isso :) (chama-se dicas de graça e vale a pena espreitar)

No meio de várias coisas que me envia porque se lembra de mim, enviou-me este artigo esta semana. Vale muito a pena ler, mas resumidamente, diz que a geração dos pais que mimam é a geração dos pais que foram mimados. Rapidamente:

Para os pais mimados que mimam será parte de sua missão aqui na terra livrar seu filho de qualquer empecilho e obstáculo natural e necessário, tal qual como tédio, bagunça, tio chato, normas da sociedade, rituais da nossa cultura etc. Para um pai mimado, a vontade do filho não precisa ter limites.”

Confesso que desde que fui mãe poucas coisas mexem com o meu Tico e Teco no que toca à maternidade. Basicamente, leio nas entre-linhas o que tiver a ler e rapidamente concluo se concordo ou não.

Porque para mim, até ler este artigo havia 2 tipos de mãe: a que eu era e a que eu não era. E eu sei bem qual sou: sou a bem do cuspo e a mãe do mimo.
Mas sim, consigo olhar para uma geração que foi mimada por pais que foram pobres, que foram eles agora pais, e que já têm filhos de barba rija e soutien 36 mas que se se passeiam pela vida, sem estudar ou trabalhar mas de iphone na mão como que tem direito a tudo sem dar nada em troca.

Onde falharam estes pais? Em que momento é que o amor passou a mimo e o mimo a “direito a tudo sem dever de nada”?

Porque quando eu digo que o meu Tico&Teco ligaram, eles ligaram para concluir que mimo e amor são coisas diferentes:

Amor temos todos para dar. E precisamos todos de receber. Nunca é de mais uma criança sentir que os pais gostam dela. Que conta com eles quando lhe roubarem o boneco na escola. Ou a namorada. Ou apenas tiver tido um dia triste e quer um ombro para chorar. O Amor não vê classe económica, cor de pele ou mesmo idade. O amor são beijos. São abraços. São cambalhotas em cima do sofá ao final do dia mesmo com muito cansaço.

Mimo tem umas fronteiras mais largas. Mimar pode ir além de amar. Mimar pode significar tentar dar aquilo a que a criança sente que tem direito. Para ela não se sentir frustrada pela vida. Pode significar que um pai que tenha mais dinheiro mima mais que um pai que tenha menos. Sendo que é garantido que não ama mais o/a seu/sua filho/a. Apesar de ele se poder passear na rua artilhado dos últimos gadgets. Pode não se lembrar da última vez que deu um abraço à sua mãe.

Isto são o meu Tico&Teco a funcionar no exacto momento que escrevo. Não sei se é bem assim.

Mas sei que mais que mimar, quero amar a Clara.

E que se um dia ela tiver um iphone mas nada mais de valor dentro dela, terei falhado na mensagem que lhe queria passar com o meu mimo amor.

Mais Crónicas:

-->