Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Mãe galinha? Sou mãe leoa! Meio louca, meio leoa, vá...

Crónica de 25 / 03 / 2015

Já várias vezes me descrevi aqui como mãe galinha, mais propriamente até mãe carraça.

Mas hoje, vinha de uma reunião aqui perto de casa, tranquila da vida, afinal, ainda me chamam para reuniões por referência ao meu bom trabalho no passado!
A Clara trazia o coelho na mão. O coelho, amigo, dodô, é 100% necessário para ela dormir.
Tendo recentemente adquirido propriedades de amigo também nos dias que ela está mais “down” ou aborrecida com a vida.
Cheguei à porta de casa, olhei para o relógio, “perfeito” pensei “mesmo a tempo do almoço!”.
Olho para a Clara e o… ONDE ESTÁ O COELHO????
Fico louca, desvairada, rapidamente começo a pensar que vi uma foto num grupo do Facebook de uma mãe com um dodô igual, posso-lhe perguntar onde comprou e vou comprar a correr, não sem antes a Clara chorar baba e ranho na sesta da tarde, claro.
Talvez um cão tenha apanhado o coelho, talvez alguém o tenha apanhado e vá pedir resgate!! Ou o dêem a outra criança! Calma, calma Patrícia, despacha-te só a fazer o caminho inverso a correr!
Lembrei-me duma amiga do Facebook, cuja filha, também de nome Clara, perdeu há uns tempos o seu amiguinho no príncipe real e ela lançou uma petição online para o mesmo ser resgatado. Na altura não percebi. Mas hoje percebi: o amiguinho de dormir não pode desaparecer! E eu não tinha tempo para lançar a petição!
Passados 5 minutos começo a falar alto “ó meu amor então e tu deixas o teu coelho cair? Não avisas a mamã? Onde caiu o teu coelho meu amor? Precisamos encontrar o teu coelho!”
Devia parecer uma louca. Ou não.
Porque alguém me responde de repente: “está ali em cima dos arbustos, apanhei-o e pu-lo lá porque estava caído no chão.”
“Obrigada, obrigada, obrigada!”
Neste momento, em que vos escrevo, o coelho, que tresandava a cão, está a ser desencardido depois de ter adormecido a Clara.
Mas o que eu vos queria mesmo dizer é que me podem chamar de mãe galinha. Ou de mãe carraça. O que eu sou mesmo é mãe leoa. Pelos vistos também de um coelho com a mania que já foge de casa.

Mais Crónicas:

-->