Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Das amarras

Crónica de 08 / 04 / 2015

Hoje fui buscar o correio à minha antiga casa.

É tipo uma viagem no tempo e no espaço, basicamente.
Já não ia lá há um tempo, tanta coisa!
Multas, contas não pagas pelo meu ultimo inquilino, contas e mais contas, cartas da empresa, cartas para a empresa, contas e mais contas…
Algo que sempre pensei foi que não podia fechar a empresa porque tinha amarras de mais. Aquilo era a minha vida, não uma opção de vida.
Mas olhando hoje para aquilo que era a minha vida, agora com algum mofo e teias de aranha, percebi que eu estava enganada.
É que a uma distância já segura desse ano horrobilis, onde a única amarra foi a Clara (e que amarra! Ter um filho, quando se quer estar presente, é a verdadeira amarra!), percebi que afinal aquilo que chamamos amarras não passam de laços.
Não os laços afectivos. Esses sim são amarras. O resto? As obrigações? As prisões? Tudo laços. Daqueles que se desfazem puxando apenas uma fita.
E já o disse aqui várias vezes mas não me canso: o que a vida me ensinou no ultimo ano é que menos é mais.
Menos salário é mais tempo com a minha filha. Menos reconhecimento são mais horas de sono. Menos responsabilidades é mais calma e paciência para a Clara. Menos amarras são mais laços. Estes sim, afectivos.

Mais Crónicas:

-->