Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Patricia Benjamim Button

Crónica de 25 / 04 / 2015
Hoje fui fazer uma massagem drenante, que tinha comprado o ano passado, na inocente crença que ia ficar magra logo a seguir (há 1 ano que não perco peso, uma desgraça…)
Inevitavelmente a conversa vai parar à criança, e, inevitavelmente, eu dou por mim a ser questionada.
E mais uma vez sou questionada como uma adolescente cheia de borbulhas (sim, porque acontece em toda e qualquer situação onde esteja com alguém que não vejo há muito tempo, mais ou menos intimo, e que acabe a falar da minha filha):
“Então mas não a deixas adormecer sozinha?” ” Então mas não a deixas sozinha pela casa?”
“Então mas ainda não está na escola?”
“Então mas come sozinha?”
“Então mas não dorme numa cama de grades?”
“Então mas não lhe vestes uma malha?”
“Então mas vai sair com tanta roupa?”
“Então mas ajuda-la sempre a levantar-se?”
“Então mas não podes estar na cozinha e ela pela casa?”
“Então mas não pode dormir na rua?”
“Então mas às 8 horas já está a dormir?”
E por aí fora…  
Sabem que mais? Nunca me senti tão criança como desde que fui mãe.
Ah sim, porque quando eu sai de casa aos 18 anos e fui viver sozinha, desde aí que ninguém me pergunta tanta coisa sobre o que estou a fazer com a minha vida.

Mais Crónicas:

-->