Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Maquilhagem de alma

Crónica de 28 / 05 / 2015

Numa das últimas consultas antes da Clara nascer, a obstrecta perguntou-me se eu tinha dúvidas.

Tenho! – disse eu – Sei que não posso usar perfume mas posso usar maquilhagem? Tapa-olheiras pelo menos?”

Eu sempre me maquilhei. Muito na gravidez. Menos depois da Clara nascer. Mas sempre me maquilhei.

Aquele kit básico “tapa-olheiras + risco olhos + rímel” dava-me a sensação de que tudo estava bem, porque eu olhava ao espelho e estava bem (menos mal, vá :))

Apesar de ter esses cuidados comigo, havia um (ou há um!) que não consigo: fechar a boca!

E, por isso, há 1 ano que reclamo que não conseguir emagrecer.

Até que alguém me disse: “Nunca vais emagrecer se não resolveres os teus problemas primeiro!”

Aquilo tocou-me. Porque, primeiro, eu não assumia. Depois, quem era ela para me atirar verdades à cara a meio da tarde?! :)

É que, de facto, além da maquilhagem de cara, eu usava (ou uso…) maquilhagem de estômago: eu como para me sentir melhor, como me pinto para sentir melhor. Mas nem sempre me sinto.

Porquê?

Porque custa assumir o fracasso de fechar uma empresa? Ficar em casa a tempo inteiro? Ter de reinventar a intimidade? Deixar de sair com os amigos? Porque temos de ter a auto-estima alta só porque somos mães? Porque ser mãe é uma carga infinita de emoções? Por tudo isso.

Tenho percebido que a maquilhagem é uma arma muito fácil. Um blush a mais. Um salto mais alto. Um realçar mais vincado do corpo. Ou o inverso. Um bolo a mais. Uma roupa mais larga. Um apagar lento de nós, que ficamos escondidas atrás da roupa ou da maquilhagem.

É que a maquilhagem chega a muito lado. Menos à alma. Essa coisa de que se fala nas várias ciências e artes. E que não aparece no raio X mas, no fundo, todos sabemos que existe.

Continuo a maquilhar-me. Já que, como diz uma amiga, Deus perdoa mas a idade não :)

Mas ando a tentar pintar a minha alma com outras cores.

É que a maquilhagem não chega à alma quando vem de fora. Porque a pode deixar linda se vier de dentro.

Mais Crónicas:

-->