Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

O que é que fazes bem quando não fazes nada?

Crónica de 03 / 06 / 2015

Quando és do género sociável e estás em casa com uma criança, tudo serve de desculpa para encontros, reencontros, reuniões, conversas, cafés e outras variantes que proporcionem estar ao ar livre e no blá blá blá.

Entre as pessoas que já conheço, as que ainda não conheço e as que vou conhecendo, parece surgir sempre aquele momento em que fica no ar o tema:

“Ok estás em casa com a tua filha, mas o que é que tu fazes?”

Quem me conhece, ou seja, uma pequena percentagem das pessoas que por aqui passam, sabem o que já fiz na vida. As outras não. (E, sinceramente, não acho muito importante falar sobre isso. Aqui, prefiro ser só “pessoa”,  “pessoa mãe” mais precisamente).

Professores, vendedores, engenheiros, arquitectos, estudantes, comerciais, designers, artesãos, empreendedores…. Inevitavelmente, fica sempre no ar que toda a gente faz, já fez, ou está à espera de vir a fazer bem alguma coisa.

Então e eu? Eu que estou em casa com a minha filha? Eu que não trabalho há um ano e meio?

Confesso que, não fosse caminho directo para selo de “xexé”, às vezes gostava de introduzir nas conversas:

  1. Sei fazer cambalhotas com bebés.

  2. Sei fazer sky com crianças dentro de casa sem partir nada.

  3. Sei inventar canções e coreografias para cada drama do dia a dia.

  4. Sei mudar fraldas no banco de jardim.

  5. Sei fazer a minha mala e a da minha filha em 10 minutos.

  6. Sei desenhar mais de 10 animais perceptíveis.

  7. Sei gatinhar pela casa sem esfolar os joelhos.

  8. Sei fazer parkour para crianças dentro de casa.

  9. Sei fazer de skate.

Eventualmente a razão porque prefiro não falar muito sobre o que realmente faço bem hoje em dia, é que ser mãe a tempo inteiro é como ser palhaço profissional: ninguém te parece levar muito a sério, por mais que sejas muito bom naquilo que fazes.

Mais Crónicas:

-->