Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Malabarista-trapesista-domadora de leões-palhaça

Crónica de 19 / 06 / 2015

Hoje de manhã fui ao centro de emprego. Já ia chateada, conduzir às 8 da manhã dentro da cidade é difícil e dá cabo da energia positiva de qualquer um.

Também confesso que o assunto é difícil: ter de falar do fecho de uma empresa pela milésima vez não traz alegria a ninguém.

Lá conseguimos chegar.

Mas a boa disposição tinha os segundos contados: responde-me a senhora que é melhor me preparar para esperar pois a segurança social não tem diferido subsídios de desemprego para sócios-gerente.

Começo a sentir um vulcão a entrar em erupção dentro de mim: “mas como não se a lei foi a provada?” “então mas e as pessoas como sobrevivem?” “então mas e nem sequer respondem?” “o quê mas sem receber subsidio fico na mesma obrigada a apresentar-me quinzenalmente no centro de emprego??”

Não foi só dentro de mim que um vulcão entrou em erupção. A Clara, por sono, calor, e provavelmente por estar a apanhar uma grande seca, decidiu entrar em desatino.

Sabem aqueles nano-segundos que estamos quase a gritar com os nossos bebés porque apesar de eles não estarem bem nós naquele exacto momento estamos em stress?

Pronto.

Respirei. Controlei-me. E perguntei se a senhora tinha um lápis para a Clara fazer desenhos. “Toma, meu amor, a mamã ajuda-te a desenhar um ananás.”

Voltei-me para a senhora e atirei-lhe com o resto da lava que havia dentro de mim.

Porque ser mãe é ser malabarista-trapesista-domador de leões-palhaço. É fazer tudo ao mesmo tempo. Mas não podendo misturar nada porque não se doma o leão da corda.

Mas vale mesmo a pena nunca deixar de ser mãe palhaça. Porque o resto é que é uma palhaçada.

Mais Crónicas:

-->