Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Co-sleeping: visão da mãe. E visão do pai.

Crónica de 21 / 07 / 2015

CRÓNICA DA MÃE:

Não percebo bem o porquê de tanto busílis à volta da cama na pré e pós maternidade:

Antes de sermos pais, dormir é uma das coisas que se faz na cama. E, quando não se dorme, é porque felizmente se está acordado.

Depois de sermos pais, dormir é uma das coisas que se faz na cama. E, quando não se dorme, é porque infelizmente se está acordado.

O quê, não me digam que acham que é muito diferente? Querem ver que vos faz diferença umas horas de sono a menos?! :)

Já falei aqui sobre as dificuldades do pós-parto e também sobre o co-sleeping.

Não tenho bem a certeza como o co-sleeping vem parar às nossas vidas. Mas tenho a certeza de uma coisa: 90% das mulheres que o praticam, acharam que nunca o iam praticar.

Os homens? Bem, se querem saber a verdade acho que, para o bem e para o mal, os homens nunca pensaram muito nos detalhes da vida pós-parto! :)

Uma coisa tenho a certeza que eles pensam: quando ela ficar magra outra vez a minha vida sexual volta ao que era, certo?

Isto para dizer que sim, o regabofe da cama de casal muda. E sim, acho que o co-sleeping é mais sobre as mães que sobre os pais.

Não que nós mães não possamos também ter saudades do tempo de regabofe e, especialmente, do tempo em que éramos magras.

Mas, ao sermos nós que amamentamos, que nos levantamos durante a noite, que adormecemos os filhos, que lhes mudamos as fraldas e que, naturalmente, acabamos por os conhecer melhor por dentro e por fora, acho que sim, que nos podemos dar ao direito de pensar:

3 na cama: porque não? Antes agora do que antes!

Como já disse acima, sobre o co-sleeping propriamente dito já falei várias vezes: aprovo e pratico.

Acrescentaria apenas que, da mesma forma que a penicilina veio parar às nossas vidas por acaso e hoje em dia salva muitas vidas, também o co-sleeping não deve ser julgado pela lente comum.

Nem uma mulher só porque gosta de dormir a três.

VISÃO DO PAI:

Co-quê?! Esta mania dos termos ingleses dá cabo de mim… Começo já pelo fim: Completamente a favor!
Aqui em casa usamos uma cama que se anexa à nossa, é uma espécie de marquise para a cama… E até agora tem sido impecável!

Muito se fala e discute sobre este assunto, desde a possibilidade de sobreaquecimento e asfixia (o que se exclui com este tipo de camas) até ao facto de não aprenderem a dormir sozinhos, de ficarem uns mimados de primeira, de não ganharem independência e a tal falta de privacidade dos papás…

Só levanto uma questão: que tipo de privacidade é que se tem ao ter de levantar 10 vezes por noite, atravessar a casa em pleno Inverno, com os dentes a bater e pés bem geladinhos, embater com o mindinho do pé em tudo o que se atravessa à frente, e tudo isto só para ir enfiar a chupeta na boca do bebé? Não percebo…

E também já estou como o “outro”, conhecem algum adulto que ainda durma com os pais?! Bem, lá deve haver… Nos Estados Unidos provavelmente… Mas eles têm malucos para tudo.
!Os pais dormem melhor, a pequena idem e para ser sincero, eu cá adoro dormitar ao lado da bebé! É das melhores coisas nisto de ser pai… As sestas que tantas vezes fazemos juntos são do melhor mesmo… Aliás, sempre fui de acordar super mal disposto, que ninguém falasse para mim nas primeiras duas horas e agora, acordo todos os dias com um sorriso estampado na fronha (não a da almofada claro…).

Claro que nem tudo é cor de rosa, agora é uma batalha para ver quem fica ao lado da Benedita, ou melhor, quem NÃO fica ao lado da bebé e consequentemente não fica encarregue de todas as tarefas nocturnas. Como é obvio, por mais que gostemos e queiramos o melhor para eles, ninguém aprecia acordar a meio da noite para agitar biberões e tentar acertar com a tetina na boquinha do bebé (só quem nunca teve filhos é que não sabe a dificuldade que é fazer isto sem ver um palmo à frente da cara…)!

Isto do Co-Sleeping é muito giro, mas também tem os seus efeitos secundários, por exemplo, a partir do momento que se dorme com um bebé no quarto as mesas de cabeceira ficam repletas de tralha, com praticamente tudo o que seria necessário para equipar uma cozinha de um qualquer restaurante… Julgo que as de cá de casa por vezes têm mais tralha que o próprio frigorifico! Não são poucas as vezes que o candeeiro e o telemóvel passam a noite pousados no chão. Já tentei
convencer a mamã a substituir pelo menos a minha por um daqueles frigoríficos tipo mini-bar…Sem sucesso.

Outra desvantagem é que durante estes últimos meses tive de adquirir capacidades de ninja para poder entrar e sair da cama sem fazer um mínimo barulhinho e… tudo às escuras. karaté kid, ao meu lado, és um menino!

Por outro lado, já não preciso de despertador… e se a noite estiver a ser muito difícil lá a deitamos entre nós e aí claro, uma chapadita ou outra é normal. No dia que acorde com um olho negro é bem feito. Ninguém me mandou ser apologista do co-sleeping!

Mais Crónicas:

-->