Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

A felicidade

Crónica de 27 / 08 / 2015

“A felicidade, todos nós queremos a felicidade”

Canta a canção. E não podia estar mais certa.

Mas o que é a felicidade?

Não sei vocês. Mas eu, já a vi em vários sítios e formas. Na adolescência, então, via-a com certeza absoluta em muitas formas. Fui heavy metal. E via-a na negritude. Fui hippie e via-a no amor e nas flores. Fui corporativa. E via-a na conta bancária.

Depois cresci. Depois tornei-me adulta. Depois fui mãe.

E a felicidade parecia uma plasticina nas mãos de uma criança cheia de vivacidade: não parava de mudar de forma.

Hoje em dia… Hoje em dia acho que a felicidade é de facto um cliché: a felicidade é algo que vem de dentro. Não é ter dinheiro. Apesar de o dinheiro ajudar. Não é ser bela. Apesar de abrir portas. Não é ter o melhor trabalho do mundo. Sendo que é importante nos realizarmos. Não é só ter filhos. Porque é preciso cria-los, dar-lhes o melhor de nós. dar-lhes tudo de nós. Sem desaparecermos neles.

E isso, isso sim, lixa a equação: não há fórmulas. Porque apesar de ser o contrário de estar morta, como diria a Lili Caneças, não chega estar viva, diria eu.

É preciso estarmos vivos com a certeza que não queríamos estar em mais nenhum sitio. Com tudo o que há a perder e a ganhar. Tem que se dar mesmo o corpo ao manifesto. E acreditar. Acreditar que o adolescente em nós não pode deixar de ter forças para encarar uma qualquer personagem. Nem que seja a pintar o cabelo de cor-de-rosa.

Mais Crónicas:

-->