Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

Histórias de merda

Crónica de 01 / 10 / 2015

Com bebés, toda a gente tem :)

Deixo-vos aqui as minhas, contribuam com as vossas!

  1. TITULO: Vou só ali almoçar. O restaurante é perto, não demoro muito, não levo nada. Pensei eu, na simplicidade do meu ser. Não levei fraldas. E só isso deve-lhe ter dado uma vontade imensa de sujar uma. Resultado: 1 garrafa de vinho e 1 fralda cheia vou ao WC pensar em soluções. A minha madrasta, mulher prática e pragmática diz: vamos desenrascar: limpa a fralda e forra com papel higiénico! Daqui a 20 anos ainda se deve queixar ao psicólogo dessa experiência…

  2. TITULO: Vou só ali à loja, não preciso levar carrinho. Levei-a ao colo. Mas 15 Kg de criatura adorável são insuportáveis de carregar muito tempo. Pousei-a no chão. Mas depois era impossível pagar os calções de corrida que fui comprar nos saldos. Pego-lhe ao colo. Ela esperneia. Era a minha vez na caixa. Seguro-a melhor. E percebo a indignação: havia cocó. Havia cocó na fralda, na roupa dela. Cocó que rapidamente se espalhou à mão e cara dela. E à minha mão que segurava também um cartão multibanco. Juro que quando voltei a entrar na sportzone 2 meses depois, não encontrei nenhum funcionário que me atendesse…

  3. TITULO: Se ela tem cocó, tu também tens. Estávamos a jantar e ela estava impaciente. Pediu-me colo. Que mãe recusa colo à sua filha?! peguei nela e sentei-a ao meu colo. Afinal era uma forma de me dizer: “tenho cocó.” Aliás, deixem-me rectificar: era uma forma de me dizer: “tenho cocó e agora temos as duas cocó!” Mas sabem quando eu percebi? Quando 2 horas depois estava a adormece-la e cheirava a cocó por todo o lado. Deve ter achado que a mamã era um bocado tonta pois se tinha esquecido de mudar a própria fralda. Mas ficou caladinha. A malandra.

Mais Crónicas:

-->