Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

O amor é chama que arde. Mas é bom que se veja.

Crónica de 18 / 11 / 2015

O amor é fogo que arde sem se ver, já dizia o outro.

Para mim, o amor é sem duvida fogo que arde. Mas é bom que se veja.

Eu só o género de mulher que alguns chamam intensa. Outros problemática. Outros apenas “aquela que provavelmente acaba a dançar em cima das mesas”.

Mas a verdade é que para mim amor é fogo, sim.

Eu sou aquela que prefere a casa desarrumada a imaculada.

Que gosta da roupa um pouco amarrotada.

Sou a rapariga que ri mais alto que as pessoas da mesa ao lado do restaurante gostariam.

Que dá mais beijos e abraços que a maioria. Para deleite da sua filha.

Sou a mulher que gosta de uma conversa intensa mais do que uma conversa amena.

Sou aquela pessoa que todos os dias diz “amanhã deito-me mais cedo”.

E que normalmente acaba as festas mais feliz que a média. Mas também já tinha começado.

Por isso, sim, para mim amor é fogo que arde e é bom que se veja. Como um por-do-sol. Ou um sorriso de uma criança: que por mais que vejamos todos os dias, nunca deixa de nos encher o coração como se fosse a primeira vez.

Mais Crónicas:

-->