Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Clara, a pessoa

Crónica de 16 / 06 / 2016

Passados uns meses das criaturas nascerem, vem uma (falsa) sensação de que já não somos atacados pela opiniões alheias.

A verdade é que os outros já perceberam que 1) a criança sobrevive e 2) normalmente as mães não gostam muito de opiniões.

Mas como as opiniões são como as cerejas, dificilmente o mundo se aguenta sem opinar aqui e ali.

E eu, muito fechada no meu mundo, de vez em quando saio à rua, vejo e falo com pessoas e já percebi que quanto mais tempo passo na rua, mais aumenta a probabilidade de ouvir opiniões.

Porque eu, por exemplo, tenho a mania de tratar a minha filha como pessoa! Eu pergunto se ela quer carne ou peixe. Se ela quer uma camisola azul ou cor-de-rosa, se se quer levantar da mesa ou se quer comer mais.

Sim, eu falo com ela como se ela fosse, imaginem!, uma pessoa!

Eu sei que é complicado para muitas pessoas compreenderem isso, especialmente porque a história nos mostra que as crianças sempre foram tratadas como seres inferiores, à mercê da autoridade paternal.

Mas a história também mostra que o ser humano é um bocado parvo portanto eu, mãe de criança que considero ser pessoa, dou-me ao direito de a tratar como pessoa, pagando o preço de no futuro ela tratar toda a gente também como pessoas.

E a verdade é que aprendi recentemente no curso que frequentei que 80% dos conselhos não são usados para nada. E dos 20% que são usados, 80% foram pedidos!

O que quero provar com este pedaço de ciência? Que quando eu pedir conselhos, ouvirei atentamente. Se não pedi, é porque estou muito bem, obrigada por perguntarem :)

Mais Crónicas:

-->