Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

A culpa é tua, Clara.

Crónica de 22 / 08 / 2016

A culpa é tua, Clara, que, para mim, o amor só possa ser um balde sempre cheio. Porque tu me mostraste que era possível.

A culpa é tua, Clara, que, para mim, no amor, nunca se beije demais, apenas se abrace de menos. Porque te vejo a ser mais segura a cada beijo, mais confiante a cada abraço.

A culpa é tua, Clara, que, para mim, gostar de alguém seja dizer-lhe diariamente "gosto de ti". Porque vejo que sorris com toda a alma quando o digo, como se fosse para ti uma novidade.

A culpa é tua, Clara, que, para mim, se possa largar tudo por amor. Porque sei que nada é mais urgente que dar-te 5 minutos do meu tempo quando tu precisas.

A culpa é tua, Clara, que, para mim, o amor seja quente e colorido. Porque tu me mostras que podemos rir sempre, mesmo quando queremos chorar.

A culpa é tua, Clara, que, para mim, amar seja a coisa mais descomplicada do mundo. Porque basta uma brincadeira para que todas as nuvens desaparecem da tua cabeça.

A culpa é tua, Clara, que, para mim, isto de amar seja tão bom.

Mas desta vez escapas sem castigo. Na esperança que não deixes nunca de ser culpada.

Mais Crónicas:

-->