Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Pé descalço.

Crónica de 13 / 11 / 2016

Eu devia ter uns 5 anos e a minha mãe era tudo para mim.

Os meus avós, que viajavam muito para o Brasil, um dia perguntaram: "queres vir?"

Lembro-me da pergunta até hoje. Ou talvez do eco da mesma na minha cabeça.

ir para longe da minha mãe, o único sitio que tinha como seguro era uma decisão complexa.

Mas o mundo, essa coisa grande chamada Mundo chamava por mim como nada nunca tinha chamado.

Fui. Esse ano e outros. Semanas. Meses.

Conheci o Brasil de Norte a Sul.

E conheci a felicidade: a felicidade de andar descalça.

Para quem não liga, talvez não perceba. Para quem o mundo pareça assustador, não fará sentido.

Mas foi aqui, nestas primeiras viagens, nestes dias de sair descalça de casa para ir para a praia, nestes dias de ver toda a gente descalça e a rir, nestes dias onde as pessoas não se mediam pelo que vestiam mas pelo que não vestiam que percebi o que era a felicidade.

Tenho para mim até hoje e, inclusive, mencionei no lançamento do meu livro: "as pessoas mais ricas do mundo vestem-se da forma mais simples possível."

É desde esses primeiros dias de pé descalço que sei que menos é mais. Que ser feliz é por dentro e não por fora. E que o Mundo essa bola azul e verde e castanha onde vivemos tem tudo o que precisamos para sermos felizes.

É para esses dias de pé descalço, de aceitação de todos e do mundo, da simplicidade mas total flexibilidade que quero ir passear com a Clara.

Pois para mim, não há nada melhor para dar a um filho do que ensiná-lo a ser feliz sem nada.

Imaginem quando conseguir tudo?!

Mais Crónicas:

-->