Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Com o dinheiro, lavo as lágrimas

Crónica de 14 / 11 / 2016

Trabalho, há muitos anos, com esta associação, O Ninho.

O Ninho é uma Instituição que tem por objectivo a promoção humana e social de mulheres vítimas de prostituição.

Porquê O Ninho?

Porque sempre achei que esta sociedade era muito hipócrita no que toca a respeitar as mulheres, especialmente as mulheres que têm histórias fruto de vida mais frágeis.

Hipócrita porque, na minha maneira de ver o mundo, não vejo onde esteja a diferença entre elas, eu, uma deputada, uma senhora que de tão rica não precise trabalhar ou a senhora que varre o lixo: nós somos todas mulheres, com uma historia que parcialmente construimos e, parcialmente herdámos.

Hipócrita porque, sem nos apercebermos, continuamos a viver numa sociedade que acha que o homem tem mais desejo sexual que as mulheres, logo mais direito a satisfazer-se fora de casa; numa sociedade que acha que a menina ajuda em casa, o menino não; numa sociedade que acha que as mulheres nunca são suficientemente boas para os meninos das mamãs.

Porquê O Ninho nas Crónicas?

Porque sou mãe e parte destas mulheres também o são.

Porque sou mãe e, pudesse eu, nunca mais nenhuma rapariga ou criança era vendida para a prostituição.

Porque sou mulher e acho que algo está errado quando o cliente, aquele acha que se compra uma mulher e que alimenta todo este circuito, não é para quem se olha como origem do problema.

Porque sou mãe e mulher, não podia discordar mais com a proposta de banalização do problema, de desvalorização da história de todas estas mulheres: uma mulher não se prostitui por escolha, prostitui-se por falta dela.

Dados importantes

Fui então hoje ao Ninho, conversar com a Assistente social da Associação. E, quando achamos que até já pensámos muito sobre o assunto, percebes que não. percebes que ainda não pensaste nada.

Adorei a conversa, adorei a posição da associação e adorei que haja alguém que defende uma posição que acredito: vamos dar uma mão a estas mulheres e vamos, acima de tudo, tentar abolir a prostituição.

Não me vou alongar, apenas deixar aqui alguns dados que vos peço a todos que leiam. Talvez, juntos, consigamos trabalhar para um mundo onde as crianças deixam de ser vendidas para o prazer e enriquecimento de alguns animais...

1 - A grande maioria das mulheres que se prostitui foi abusada emocional e sexualmente em criança, sem nunca ter percebido a violência de que foi vitima.

2 -O tráfego humano rende milhões às pessoas envolvidas pois o produto é comprado uma vez, e vendido mil...

3 - Nos países mais desenvolvidos - como a Suécia, Islândia, Canadá, Singapura, África do Sul, Coreia do Sul, Irlanda do Norte, Noruega e agora na França - pagar por sexo é crime pois acredita que a prostituição é uma forma de violência contra as mulheres pelo que pagar por sexo é sinal de delinquência.

O que gostava eu?

Que amassem os vossos filhos como se não houvesse amanhã. A falta de afecto em casa leva muitas meninas a procura-lo fora. Onde não o irão encontrar...

Que amassem as vossas filhas, como amam os vossos filhos. E que eduquem os rapazes a respeitar, amar e cuidar das mulheres. Não é aceitável pagar por sexo com dinheiro, ou com um casaco...

Que se lembrassem que somos todos humanos, todos iguais, a inserção passa por sermos acolhidos: sorriam para todas as pessoas que precisem. É grátis!

Que deem voz à igualdade, à desigualdade e à luta por um mundo onde as mulheres nas precisam de ser iguais aos homens. Podem apenas ser mulheres, sem ser comparadas, e muito menos compradas, por ninguém.

Mais Crónicas:

-->