Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Nunca tinhas amado assim pois não?

Crónica de 07 / 12 / 2016

Tenho escrito muito sobre o pós-parto (aqui e aqui).

Mas se aparecesse de repente um alien e começasse a ler o meu blog ia ficar a pensar: mas se isto é mesmo assim, porque raio tem as humanas filhos? Às vezes mais que um?!

Se fores um alien a ler, deixa-me explicar-te porquê: porque ser mãe é amar como nunca se amou. É descobrir o verdadeiro significado da palavra amor.

Ser mãe é descobrir que somos leoas.

Que protegíamos aquele ser até à nossa morte.

É descobrir que anos e anos de evolução não tiraram o animal que há em nós no que toca a cuidar daquela pequena pessoa.

É descobrir que, dentro do nosso coração, onde achávamos que não podia caber mais amor, cabia, afinal, um amor infinito...

Nunca tinhas amado assim pois não? disse-me uma amiga no outro dia, como quem percebeu o porquê deste blog... o porquê de tanta emoção.

Não. Nunca tinha amado assim.... Na verdade... nem sabia que era possível. E isso abalou completamente o meu mundo: se isto é que é amor, o que andei a fazer uma vida?!

Andei obviamente a amar de maneira diferente. Mas tive de reorganizar a minha maneira de ver tudo. tudo...

E é por isso que as mulheres dizem que a vida começa depois de sermos mães. Como se nada até ali tivesse feito de facto sentido. E é por isso que muitas relações não resistem ao nascimento de um filho.

Sabes porquê alien? Porque só depois de sermos mães é que percebemos que, dentro de nós, temos a força de uma leoa, a resistência de um elefante, e a energia de uma chita.

Nós, mães, não temos o coração dentro daquele músculo vermelho palpitante. Isso dizem os livros que não sabem nada.

Ser mãe rasgou-nos esse coração. Para que o afecto, a emoção, a protecção possa correr em todas as nossas veias. Todos os nossos músculos. E ossos. Da ponta do cabelo. À ponta da unha do pé.

Percebes agora alien? Ser mãe mostra-nos que somos sobre-humanas. Também nós, somos extra-terrestres.

É esta força para superar tudo. E amar infinitamente. Quando rimos ou choramos. Quando queremos mais e quando não aguentamos mais.

É esta força que só as mulheres têm que faz com que possamos passar por tudo outra vez.

Porque amar assim, como se ama um filho, é a nossa maior capacidade. É a nossa magia.

Espero que no teu mundo também haja magia, alien. É a melhor coisa do mundo... Do nosso e espero que do teu.

Mais Crónicas:

-->