Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Destilar bilís no Natal? EU?

Crónica de 09 / 12 / 2016

Sim, eu podia vir para aqui falar-vos de que guardanapos conjugam com as bolas da árvore de Natal.

Falar-vos de como a taça de doces da Titia Mercedes vai enfeitar a mesa da consoada.

Ou de onde encontrei aquelas luzes de Natal que dão um brilho tão natalício à minha sala.

Podia.

Mas não vou.

Porque não estou nem aí para os guardanapos. Ou taça de doces. e muitos menos luzes que não sejam de uma loja de chineses ou de há 500 natais atrás, eventualmente de uma relação casadoira que nem minha era.

Sim, é feio, e pouco católico, vir para aqui destilar bílis na altura de Natal. Córror!

Se quiserem aprender sobre as boas maneiras do Natal, posso já adiantar que não é aqui.

Aqui, vai-se a ver, e nem aprendem nada...

Mas eu vou destilando bílis. Sempre que me apetecer. Gosto de dizer mal deste ou daquela. Subtilmente, claro, que também não estou para não ter nem um par de meias na árvore.

Eu vou destilando bílis. Sem aparentar uma vida cor-de-rosa. Ou criança repleta de folhos. Ou Natal digno de capa de revista. Ou fazer de conta que gasto o dinheiro que tenho e que não tenho por um dia de festa.

Eu vou destilando bílis porque a vida às vezes corre-me bem. Outras não. Às vezes rodeia-me de pessoas adoráveis. Outras, nem por isso. E eu, uma espécie de yin & yang da blogosfera, gosto de partilhar convosco toda a palete de emoções que tenho.

E vou destilando bílis porque, chegando ao natal, até posso não fazer as paginas de uma qualquer revista com roupa a condizer com a minha miúda.

Mas havemos de estar, bem-dispostas, cheias de nódoas, a comer mais uma filhós sentadas no chão.

E, houvesse revistas sobre bílis e boa-disposição, vos garanto que lá estávamos todas as semanas :p

Mais Crónicas:

-->