Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

As meninas são tão fáceis de vestir! Sorte a dos rapazes.

Crónica de 19 / 01 / 2017

Nada mais exótico que entornar sumo de laranja no teu Mac num país tropical...

Então lá fui, ontem, pô-lo a arranjar.

País tropical no verão pede, obviamente, calções. Noutros tempos, ter-me-iam ignorado mas depois de passar 3 anos sem gostar ou cuidar de mim, estou mais magra e as minhas pernas deram ao meu Mac a atenção que ele precisava.

Não consigo deixar de pensar que continuamos a educar crianças para o sexismo sabem? Não consigo deixar de pensar que as "meninas são fáceis de vestir" e que os rapazes têm muita sorte por isso: eles podem só ser rapazes.

Sim, eu mãe de menina posso-me dar ao luxo de ter opinião fundada na minha visão é não na experiência: eu, mãe de menina, acho que se continuam a educar meninos para serem o que quiserem e as meninas para serem bonitas.

Acho que os rapazes podem sujar a roupa e estragar os brinquedos. E as meninas não.

Acho que um homem de 30 anos solteiro terá sempre a mãe a passar-lhe a roupa. E a mulher será uma desleixada se não passar a sua.

Acho que achamos que as raparigas são mais independentes que os rapazes desde cedo e talvez o sejam porque pedimos mais delas que deles.

Que talvez as meninas sejam educadas para ser tudo o que as mães não foram. E os meninos, coitados, podem continuar a dizer a mãe que vá buscar um copo de água até aos 40.

Acho que a mulher solteira aos 30 está a ficar para tia e que o homem está a construir carreira.

Acho que enquanto as meninas são fáceis de por bonitas os rapazes têm a imensa sorte de poder ser apenas rapazes.

Serão grandes ou pequenos homens não importa. Certamente a menina certa ainda não apareceu se aos 40 continuam atrás da carreira.

Já a menina certa vai estudar, trabalhar, ser bonita, chorar de amor e ter menos colo e mama da mãe. Porque é mais independente. Porque aprende mais depressa. Porque quis largar as fraldas e dormir sozinha cedo.

Mas ficavam-lhe bem os lacinhos na cabeça, sortuda.

Claro que se calhar por isso não pode brincar na lama nem subir as árvores como o irmão.

Esse que teve mais colo. E porque é homem, desenvolve-se mais tarde, e subia as árvores e chegava a casa sujo de tanto brincar, só não tinha era tanta roupa nas lojas para escolher, o coitado.

Sim, eu tenho uma filha pelo que falo sem experiência de filho homem a quem passar uma camisa daqui a 30 anos.

E sim, o meu computador, esse sim macho, beneficiou das minhas pernas menos másculas para ser visto rapidamente.

Mas eu sei que se eu fosse homem não eram as pernas era a voz que interessava. Voz máscula, viril, que se impunha! Mesmo que tivesse largado tarde as fraldas.

E sei que uma filha ao colo com laços na cabeça enternece qualquer um. Uma filha que merece, e terá!, o meu colo para sempre. Mas irá buscar o seu copo de água aos 3 anos.

E se ela chegar solteira aos 30 espero que não seja preciso usar lacinhos na cabeça para receber a ternura do mundo. Porque o rapaz que está ali ao fundo a brincar na lama certamente não precisará.

Mais Crónicas:

-->