Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Porque é que uma mulher como tu não tem namorado?

Crónica de 08 / 03 / 2017

Perguntava-me, no outro dia, alguém.

Não é fácil. Respondi. Não é fácil ter tempo para conhecer alguém..

Não acreditou em mim. E continuou a olhar para os meus olhos à espera de outra resposta.

Mas a resposta era mesmo essa. Então desenvolvi-a.

Não saio à noite, logo não conheço pessoas novas. O meu dia é escola da Clara-casa-escola-casa. Por mais que possa conhecer alguém que não olhe logo para mim com aquele ar de "de mães solteiras é para fugir a sete pés" o romance só pode começar de uma maneira: "jantamos fora, a 3, até às 10 da noite ou em minha casa a 3?" Alguém um pouco mais tímido, e com mais vergonha de possíveis embaraços sociais causados por uma criança num restaurante, lá aceita vir conhecer a toca de uma mãe solteira e sua cria. E é bom que não espere nada de muito romântico porque o jantar é servido às 19.30, quando às vezes ainda é de dia, é cozinhado entre gritos e correrias, e berros de "já disse para arrumares os legos que vamos jantar!". Quando finalmente se janta, o acompanhamento é nódoas de brócolos e manchas de molho da carne. Mas, para quem corajosamente espera, que se arrume uma cozinha, grite 3 asneiras por pisar 3 legos, e se instale um ar de que acabou de correr a maratona, o fim está próximo: aquele onde vais adormecer a tua filha e voltas... entre 30 a 60 minutos depois. Alguém de facto investido pode esperar, claro. Liga a televisão e vê qualquer porcaria que poderia ver no conforto do seu lar, sem dividir sofá com a Minnie, os legos falsamente arrumados e três canetas destapadas. Até porque eu, eventualmente, conseguirei voltar. E quando o faço é triunfante: o ar de cansaço na minha cara diz tudo: quero lá saber de ser romântica, quero mesmo é dormir!"

Acabei assim o meu relato.

"Oh, percebo. É igual a estar casado!"

E assim convenci esta pessoa que não é fácil mas que o meu dia há-de chegar.

Sim, convenci-a a ela. Porque eu percebi perfeitamente que não tenho ninguém na minha vida... porque não quero. Não deixo. Não procuro.

O que interessa é que ambas ficámos satisfeitas com a resposta. E eu ainda fiquei sem a roupa do marido para lavar :)

Mais Crónicas:

-->