Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Amar(-te) pelos dois

Crónica de 14 / 03 / 2017

Tens pai e mãe.
Avós. Tios. Primos.
Uma carrada de amigos.
Um infinito numero de pessoas que te ama.

Mas é impossível não sentir que te devia amar por dois.
Uma mãe carrega sempre culpas.
Herança de uma cultura que responsabiliza a mulher pela paz do lar.
Uma mãe separada carrega ainda mais culpas.
Como se não fosse mais feliz ter dois pais amigos e separados que juntos e zangados.

Como se tivesse de te amar por dois.

Eu sei que não precisas. Tu já és amada (e muito!) por dois.
Mas eu sinto que te devo amar por dois.
Por 3 e por 4.
Amar-te pelo mundo. Todo.

Não é possível, eu sei.
Não é preciso. Também o sei.

Mas, não conseguindo amar-te pelo mundo,
queria pelo menos tentar amar-te por dois.

Consigo pelo menos que seja por dois... milhões de anos.

Ficas comigo para ver que consigo?

Mais Crónicas:

-->