Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Rabbit.Rabbit. (Engole lá mais um sapo!)

Crónica de 05 / 04 / 2017

fotografia: the love project. Sigam aqui e aqui

A coisa mais difícil de aprender, para mim, nesta coisa de ser mãe, foi aprender a engolir sapos. Sim, sapos, aquela coisa verde, escorregadia, com patas quase de alien, e sons ensurdecedores. Sapos!

Começou cedo a lição. Começou logo no hospital quando, já com contracções, a enfermeira diz: "vamos lá fazer um toque para ver a sua dilatação." E Pimba.

Não há como não pensar: "porque é que não vais meter essa mão no %$# de um elefante a ver o que ele te faz sua &%## .. #$%/&$!"

Mas não. Claro que não. Engoles obviamente o sapo, esse primeiro sapo de muitos sapos. Porque tens de tratar bem aquela senhora até estares safa do hospital. Pelo que a única coisa que fazes, além de, em esforço, engolir o sapo, é:

:)

E continua. Por aí fora. A mais difícil lição da maternidade: aprender a engolir sapos.

Assim que nascem, alguém se chega perto de ti e começa a espremer as tuas mamas, para ver se tens leite.

"eu não sou uma vaca sua ##%&%##% vais espremer mas é &$#$%&/%& sua $""$&&##$$!" pensas tu. Mas claro que, sapo engolido pois ainda não podes fugir a 7 pés, resumes isto a:

:)

Vens para casa. Livraste-te desse cenário de total dependência. E começas a receber visitas. Ah, a família e os amigos e os primos dos amigos da família! Coisas boas!

"Esse bebé está a chorar de fome! estás a alimenta-lo?!"

"Sim, já lhe dei um leitão mas está armada em difícil e não quer! Imagina!" Pensas tu. Mas o que responde tu?

:)

Levar com bolas de putos nos jardins. Esses sítios maravilhosos onde se juntam bandos de crias gritantes. Um gelado na tua t-shirt preferida. Gritos nos teus ouvidos. Um empurrão à tua filha.

"Suas criaturas pequenas e mal-educadas! Vou-vos fechar numa toca seus ##%%$"#!"%! Desapareçam! Xo! Seus ##$&&$"!" pensas tu sobre estas criaturas. Mas que dizes?

:)

A quantidade de comida que comem. Muita ou pouca, pouco importa.

O diagnóstico que falhou aos médicos.

A escolha da escola.

Da roupa.

As birras. E mais birras.

E tu? Tu:

:)

E vais engolindo os sapos. Esses seres viscosos. Com perninhas salientes. Que dificultam a digestão!

Até que um dia... Um dia sai-te uma tripa de sapo, uma perna mal digerida, um sapo inteiro, a toda a velocidade:

"Eu quero o melhor para ela! E faço o melhor que sei!"

"Credo, também não é preciso falares assim!" respondem-te. "Que mau feitio!"

E tu? Tu:

:)

Agora que estás mais aliviada, engoles mais um sapo.

Podiam ser ursos carinhosos e fofinhos. Mas não era a mesma coisa.

Não era a mais difícil lição de maternidade se fossem coisas fofas.

Mais Crónicas:

-->