Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Não me lixem: o amor é difícil!

Crónica de 26 / 04 / 2017

Não me lixem com conversas da tanga de que amar fácil. Não é. Amar é difícil.

Amar de manhã, com hálito da noite e cabelo desgrenhado não acontece naturalmente.

Amar à noite, depois de um dia de trabalho e horas no trânsito não imediato.

Amar a meio da noite, quando um bebé chora, e faltam 3 horas para acordarmos, não é o que sentimos.

E amar enquanto se lava e limpa nem nos contos de fadas.

Amar o outro enquanto se educa uma criança exigente.

E amor depois de partilhar os pijamas rotos e os sons que se faz no WC não é a primeira coisa em que se pensa.

Não me lixem: o amor é difícil!

Ou pelo menos é até seres mãe. Depois percebes que o amor é a coisa mais fácil do mundo.

Que sobrevive ao sono e às olheiras. Ao cansaço, às birras e aos vómitos. Às constantes mudanças de planos. Às mudanças de vida.

E aí questionas, que amor afinal tens tu ao lado.

E esse amor difícil, esse amor que já te fez rir e chorar, gargalhar e corar, gritar e querer partir.

Esse amor que já não é o que foi. Que já não põe perfume para ti. Que chega e vai para o sofá antes de te dar um beijo. Que não reparar no teu cabelo. Ou que hoje acordaste mais emocional.

Esse amor é bom que faça o teu coração bater. Te faça esquecer os puns e a vassoura que te deu no Natal. A vez que adormeceu enquanto falavas. E a outra que foi ver futebol no dia do vosso aniversário.

Esse amor é bom que seja bom. Além de difícil.

Porque se há algo que uma mãe sabe é que o amor é difícil. Mas não há nada melhor no mundo.

Mais Crónicas:

-->