Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

"Você escreve o que nós sentimos!"

Crónica de 27 / 04 / 2017

Disse-me alguém com quem me cruzei esta semana.

Já ouvi isso algumas vezes: a mensagem, afectuosa, de quem me lê e se revê no que escrevo. Mas por mais que gostasse de ficar com os louros, não posso.

Tenho de vos dizer que os créditos não são meus. Não, não sou eu que chego à alma por caminhos difíceis e travessos e lhe arranco, à força, os sentimentos que ela esconde e os transformo, qual missionária, em palavras.

O que acontece é que todos, mas todos nós, passamos uma vida a esconder o que sentimos. As dúvidas, as lágrimas, os sonhos e desejos. Somos nós, pessoas, que a bem da vida funcional, soterramos lá no fundo do mar, no escuro da alma o que verdadeiramente sentimos.

As mães então nem se fala... as lágrimas e dúvidas de falhar, a vontade de ter colo em vez de responsabilidades, a cabeça cheia de listas de por fazer. E uma, apenas uma cara: a cara de quem tem a certeza que vai correr tudo bem. A cara de quem é um porto seguro para todos os que nos rodeiam.

Mas sabem que mais? Deixem-nos saber que por mais fortes que sejamos também queremos aportar! Também nós queremos parar. Também nós queremos sentar no sofá da vida, por os pés em cima de um banco, e ter um imaginário Ambrósio que trata de todos os nossos receios. E, pelo caminho, da roupa e do jantar.

Deixem todos saber das vossas fragilidades. Dos vossos receios e dúvidas. Dos erros e dos medos. Deixem, especialmente, os vossos filhos saber que somos assim, imperfeitas, incompletas, receosas.

Deixemos os nossos filhos saber que somos humanas. Para que também eles possam ser.

Mais Crónicas:

-->