Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

As mentiras que me disse no pós-parto

Crónica de 12 / 05 / 2017

Agora, à distância posso reconhecer que eram mentiras. Mentiras importantes para sobreviver esta altura (muito!) exigente da nossa vida... mas ainda assim mentiras.

A esta distância sei que me salvaram. Mas que me podiam ter afundado ainda mais. Se se reveem em alguma, parem para pensar. Pensar se precisam dessas mentiras para ficar à tona... ou se as devem mandar às urtigas.

"Estou tão feliz!" é a clássica mentira do pós-parto. Quer dizer, claro que estamos felizes. Muito! Mas estamos, acima de tudo, assoberbadas. Sim, assoberbadas. Afinal de contas, aquela pequena, mínima, linda criatura ainda nos é de alguma forma estranha. Já o nosso corpo, que conhecemos há varias décadas, é-nos mais familiar, e ele acabou de passar 9 meses a fazer pés e mãos, corações, cérebros e intestinos. Sim, ele está cansado! Assoberbado! E com razão!

"Podia olhar para ti o dia todo!" Não é verdade. Xixi. Cocó. Puns. A coisa mais básica da televisão. Uma brisa na tromba. Uma olhadela nas redes sociais e um bolo às escondidas. Além de uma eventual remoção do bigode que já começa a encaracolar nas pontas. A malta toda o diz mas não é verdade: é preciso sempre um bocadinho, ainda que pequenino, de tempo para nós.

"Andava sempre contigo ao colo!" Pois... errr... parece-te só. Parece-te. Agora que a criatura pesa pouco. Fazer refogados. Tomar banho. Xixi. Cocó. ir a correr comprar um pacote de manteiga. Há momentos que davas um mindinho, confessa, para que não tivesse de ser com a pequena e adorável criatura ao colo. Especialmente quando ela começar a espernear. E falar. E for inverno. Ufa...

"Nem custa muito acordar de 3 em 3 H!" Pois não. Custa só horrores. Montes e montes de horrores. É por isso que é uma forma de tortura: a privação de sono! Olhem eu dormia sempre que podia e safou-me. Queria lá saber. Era dormir ou ser internada... para dormir! Qual cá andar com olheiras até ao joelho.... Custa muito, deixem-se de merd cenas! E custa cada vez mais, por isso mais vale assumir já, por a almofadinha a jeito e tirarem uma soneca.

"É tudo tão natural!" Não, não é. Naturais são os sumos. Não é um ser vivo, com pés e braços e cabeça sair por um buraco minúsculo reservado, até à data, aos mais delicados momentos, para se alapar nas tuas mamas que vão passar a jorrar leite. E tu vais, durante uns bons meses, pensar apenas quando vai sair o leite, e quando aquele ser pequeno quer leite. Ao menos dessem sumo e a malta partilhava. Isso sim seria natural: sumos naturais!

"É amor à primeira vista!" Pff.... ainda não viste nada... se achas que isso é amor espera... espera porque ainda não viste nada... vais amar esse pequeno ser, que te rasgou para vir ao mundo mais que alguma vez sonhaste. Vais transbordar de amor, como transbordaste de leite. Vais amá-lo. Cada vez mais. Como se fosse sempre a primeira vez. E vais continuar a contar-te mentiras. A maior sendo que achas que não é possível ama-los mais. Porque é. Sempre.

Mais Crónicas:

-->