Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Tudo o que adoro na minha filha. E odeio ao mesmo tempo.

Crónica de 29 / 05 / 2017

Sabem aquelas coisas que só as crianças fazem, que nos fazem sempre lembrar que a infância é um mundo parte, do qual temos saudades para sempre?

Aquelas pequenas coisas que nos lembram sempre que o melhor do mundo são as crianças... o difícil mesmo é tomar conta delas? :)

Aqui ficam algumas delas que eu adoro... e odeio ao mesmo tempo ;)

  1. Ir de A a B: ir de um lado para o outro é, para o comum dos adultos, uma coisa sem graça. Sais de casa entras no carro, entras no carro, conduzes. Já as crianças não: todas as viagens podem ser de extremo interesse! E, por isso, a cada 2 degraus podem parar para conversar sobre a libelinha que cruzou ontem a janela. E lá ficam paradas... enquanto os nossos nervos começam a ver-se no olho que pisca incessantemente.

  2. Banho: para um adulto um banho é, somente, uma actividade higiénica. Para uma criança não: um banho é todo um mundo infinito de divertimento. Fazer sopa de banho, mergulhar com tubarões, cascatas de sabonete, as criaturas conseguem ficar lá dentro 1 hora, até cair um dedo do pé de tão enregelado e frio que está, e depois, obviamente, de atirarem 75% da agua cá para fora. Mas os maus da fita? Nós, claro. Quando passada essa hora queremos, depois de nadar para lá chegar, tira-los da banheira.

  3. Novidades: Nós, os adultos, já não somos muito impressionáveis com novidades. Diria mesmo que nos esquecemos um pouco do valor das coisas. Já as crianças, não: tudo é uma novidade... e a mesma novidade pode sê-lo vezes sem conta! Como por exemplo, a centésima vez que vês o Nemo. Eles ainda têm aquele brilho nos olhos de quem está a ver a Dory pela primeira vez. Nós temos aquele brilho nos olhos... de quem está a pensar nas coisas todas feias que faria à Dory se a apanhasse, de repente, numa esquina.

  4. Brinquedos: Nós adultos, divertimo-nos com muito pouco... televisão, telemóveis, uns fins-de-semana na praia, contam-se pelos dedos de uma mão o que nos costuma entreter. Já as crianças não! Tudo é brinquedo! Tudo é divertido! Tudo é animação! E portanto quando olhas para a tua sala e tens 4 troncos de arvores cheios de aranhas e pó percebes que está na altura de ligar a televisão e entreter a criança... ou ir viver para um parque de campismo.

  5. Comida: A nossa cultura enaltece a comida: almoços, jantares, com a família ou de negócios: em Portugal, tudo acontece à volta de uma mesa! E, por isso, sabemos muitas vezes que a relação com a comida é apenas uma extensão da nossa relação com o stress: comemos num tupperware à frente do computador, enfiamos uma bifada goela abaixo no banco do carro. Não as crianças. Não! Comer é sempre uma novela, boa ou má, brasileira ou mexicana! Comer é sempre animado! Tão animado que há uma semana que não consigo descolar do chão da cozinha um resto qualquer de telenovela que para lá anda...

  6. Viagens: Todos nos lembramos da emoção que era viajar quando éramos mais novos! Vamos o caminho todo, excitados, a perguntar quando chegávamos! Porque ninguém gosta mais de viajar que as crianças. E, por isso, quando passados 5 minutos de arrancares te perguntam se falta muito para chegar, percebes que estás feito ao bife, e que ir o caminho todo com musica aos altos berros só para não ouvir a felicidade que vai lá atras não é má ideia...

Mais Crónicas:

-->