Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

A minha filha vai ser a melhor do mundo!

Crónica de 06 / 06 / 2017

A minha filha vai ser a melhor do mundo!

Natação.
Artes-marciais.
Música!
Ginástica ou dança.
Até mesmo Olimpíadas da matemática.

Desde que nasceu que tenho esta ansiedade: ajuda-la a encontrar o que gosta para que encontre cedo a sua paixão e possa ser a melhor do mundo.

Mais do que a necessidade dela ser "a melhor" julgo que me preocupava que, neste mundo competitivo e veloz, a minha filha não entrasse no jogo da sobrevivência do mais forte e perdesse o comboio.

Sim, já entrei na fase dos avós e tetravós que acha que no meu tempo não era assim! e tenho muito medo do que será o mundo profissional quando ela chegar à vida adulta.

À minha ansiedade natural, vale-me alguma descomplicação natural... e uma pediatra fantástica:

O melhor desporto para uma criança de 3 anos? Brincar!

E eu não podia concordar mais com ela quando o meu cérebro de mãe neandertal acalma e percebo que esta necessidade de ser melhor, praticar muito, ou saber fazer de tudo um pouco não é caminho para aquilo que é mais importante: ela ser segura de quem é para ter a certeza do que a faz feliz.

Digo isto e respiro fundo. Sei que o caminho não é fácil... mas é certamente mais fácil que a tornar a melhor do mundo em bolas de sabão aos 4 anos, ou a melhor do mundo a emborcar pasteis de nata aos 5.

Porque esta coisa de ser melhor do mundo obriga a que estejam sempre focados no mundo. Enquanto que a vantagem de já ser neandertal é que sei que a felicidade só pode vir quando se sabe olhar para dentro.

(Mas mãe que é mãe, neandertal ou não, não desiste... então pode ser que seja a melhor do mundo nisso... nessa coisa de saber olhar para dentro e ouvir o seu coração <3)

Mais Crónicas:

-->