Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Mamas e Morais

Crónica de 21 / 06 / 2017

Sendo alguém que não amamentou, tenho de confessar que não me faz qualquer confusão ver uma mãe a amamentar um bebé, mas estranho um pouco quando o bebé já é uma criança.

Claro que desde eu estranhar a achar que a minha opinião é superior à das várias pessoas envolvidas (mãe, criança, pai) vai uma enorme distância: aquela opção não me diz qualquer respeito.

A única situação onde a maternidade exercida por uma mãe diz respeito a outra mãe é num cenário onde uma mãe tome pública e deliberadamente uma opção que faça mal ou prejudique os seus filhos ou outras crianças.

No outro dia, coloquei no facebook do blog uma foto de uma mãe bombeira a amamentar. Esta:

No meio de muitas mensagens de apoio, alguém comentou expor o que devia ser íntimo.

Ora bem... parecendo-me óbvio que esta mãe bombeira, mulher de coragem e dedicação a quem se calhar nunca lhe agradecerá - as pessoas a quem poupou do fogo - não me parece mesmo nada que tenha parado o seu trabalho por um capricho do filho que até estava ali, quase marginal, em vez de ir para a escola! Ela está a alimentar um bebé! Alimentar!

Quem são as pessoas que acham que amamentar em público está errado?!

  1. São aquelas que lutaram contra a utilização do corpo da mulher na publicidade?

  2. São aquelas que lutaram contra a desigualdade salarial entre homens e mulheres?

  3. Será alguém que acha que a mulher deve estar na cozinha?

  4. Ou que acha que uma mulher está bem é casada e a ser *"Sra. de..."?!

  5. São pessoas que acham que toda a mulher que usa mini-saia está a "pedi-las?

  6. Ou alguém que tenha lutado acerrimamente pelo direito à interrupção voluntária da gravidez?

7. Quem são estas mulheres que acham que mamas e morais têm esta relação tão intrínseca? Dedicam-se à luta da imoralidade? Na sua total extensão? Lutam contra a corrupção? A injustiça no mundo? Ou só mesmo contra uma mãe que amamenta um bebé?!

Como disse acima, todos somos livres de ter uma opinião. Mas essa não passa disso mesmo: do nosso olhar sobre o mundo. E como cada um tem um par de olhos, cada pessoa tem direito ao seu olhar.

E nada, mesmo nada, torna o nosso olhar melhor que o do outro. Especialmente quando o outro tudo o que está a fazer é cuidar de uma vida humana. Da mais importante vida humana de todas: a vida humana de uma criança.

Deixem-se de merdas. Se querem defender a moral, existe no mundo, infelizmente, uma lista infinita de causas a adoptar. Não se acanhem.

Mais Crónicas:

-->