Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2017

Afinal que raio de cena é essa do Sentido da Vida?!

Crónica de 19 / 07 / 2017

Não é preciso ser Buda nem Freud para perceber que uma rotina organizada dá sentido à vida.

E é por isso que anos, décadas, séculos e praticamente milénios a fio, as pessoas estudam, trabalham, organizam-se para o inverno no verão, para as férias de verão no inverno, e para a reforma durante toda a vida.

A rotina organiza e dá segurança aos bebés, mas também aos adultos.

É isto que muitas vezes é apontado como a raíz do mal do desemprego: a ausência de motivos para acordar, vestir e sair de casa, a ausência de objectivos e metas diários, parecem tirar às pessoas a vontade de viver, de ser feliz e de vingar nesta coisa chamada vida.

Confesso já ter sentido esta falta de sentido na pele e, ainda a propósito de ter andado a folhear albums antigos, percebo que várias vezes me perdi no caminho, perdi o norte, perdi o sentido, e fiquei à deriva. Perdi tudo, menos empregos, ainda assim desses sempre fui desistindo :)

Hoje estava a arranjar-me de manhã e tive a perfeita noção que arranjar-me de manhã nem que seja para ir levar a minha filha à escola me organiza ou, pelo menos, me dá uma noção de vida organizada e com sentido.

Sim! Assim que eu arranjar um emprego vou sentir então que a minha vida faz todo o sentido! Pensei. 2 segundos depois estava a rir para dentro.

É que o sentido da vida não é o sentido do dia. Não basta dares sentido a 24 horas de cada vez para a tua vida fazer sentido. Isso faz, contudo, com que as pessoas achem que sim e deixem de pensar no verdadeiro sentido da vida: a razão porque aqui andamos, o legado que queremos deixar, não em casas e carros mas no coração dos que amamos.

O sentido da vida, tal como outros, tem um maldito sentido de humor. E enquanto pode parecer que ter a manhã, tarde e noite, organizadas e previstas diz algo sobre a vida, quando olhamos para aquilo que são a manhã, tarde e noite da vida percebemos que não.

A vida faz mais sentido quando a manhã, tarde e noite são apenas ferramentas ao serviço de algo mais amplo: a nossa própria vida. Vista aos olhos da nossa morte.

Parece meio doido? Pois é. Já vos disse que a sacana da vida tem muito sentido de humor não já? ;)

Mais Crónicas:

-->