Crónicas das Maternidade

Thoughts, stories and ideas.

Autoria de Patrícia Costa
Todos os direitos reservados.
2018

O medo

Crónica de 30 / 01 / 2018

"O medo é ... um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa ... por se sentir ameaçado, fisicamente ou psicologicamente. A resposta anterior ao medo é conhecida por ansiedade. Na ansiedade o indivíduo teme antecipadamente o encontro com a situação ou objeto que possa lhe causar algum mal.

Não conheço mãe que viva sem ansiedade. Pode cair, pode magoar-se, pode estar a ficar com febre, pode vomitar, pode-se engasgar, pode ter uma otite, pode, pode, pode...

O medo que aconteça algo às nossas crias deixa-nos refém deste sentimento de que estamos a olhar para o hoje para evitar o amanhã.

Mas com os nossos medos e ansiedade, parecemos lidar bem. Parece até que é inevitável: mãe = medo. Mas e quando são os nossos filhos?!

Os 4 anos trouxeram à tona os medos da minha filha. Dá-lhes voz, defende-se, diz o que quer e não quer.

E, parte de mim, tem um orgulho tremendo que ela lhes dê voz, em vez de ficar refém.

Então tem nascido uma nova mãe: a mãe que a deixa cair, para ela não ter medo de tentar, a mãe que a deixa acordada, para ela decidir quando quer dormir, que a deixa levantar-se da mesa se decide que já não quer comer mais.

Os medos dela talvez reflictam os meus. Todos aqueles que sei que ganhei desde que fiquei sozinha com ela, e me fizeram ter medo que dois olhos não chegassem. Duas mãos fossem insuficientes. E que eu me viesse a sentir incapaz de ser a mãe que ela merece.

Mas sei que o medo e a ansiedade nos fazem apenas espectadores da vida. Do lado de cá do ecrã. Do lado de cá. Longe de onde tudo se passa.

Por isso, agora que a minha filha tem 4 anos, agora que dá voz aos medos e ansiedades, quero ser a mãe que abraça os medos. Pois os piores são aqueles de que fugimos. Tal qual as maiores proezas são aos que fazemos depois de cair.

Mais Crónicas:

-->